Ela é capaz de definir a performance e, até mesmo, a satisfação de seu aluno na hora do treino. A luz pode ser uma de suas maiores aliadas quando o assunto é promover uma melhor experiência ao usuário da academia.

Justamente por isso, o projeto de iluminação do ambiente é tão valorizado dentro desse contexto: ele vai determinar o nível ideal de luminosidade para estimular a liberação de energia, seja na prática de natação ou musculação, por exemplo, seja para oferecer a sensação de conforto e bem-estar no caso de uma aula de Yoga e Pilates.

  1. Para não errar, a dica é simples: quanto mais escuro, mais relaxado fica o aluno e vice-versa. Uma boa solução é avaliar o perfil do seu público-alvo e criar diferentes cenários em seu espaço
  2. Procure alternar os tons ao longo do dia. No horário da manhã, para o aluno mais ativo, ofereça uma luz mais clara que ilumine a academia, estimule e lembre que o treino será rápido.  No período da noite, reduza a iluminação para fazer o cliente entrar no clima. Opte por uma luz colorida, que lembre um ambiente de lazer.
  3. Prefira usar luz amarela na iluminação geral, ou seja, a luz com baixa temperatura de cor. Cerca de 3000K é o ideal para tornar o ambiente mais aconchegante.
  4. Outra alternativa é criar circuitos dentro de uma sala de aula coletiva para valorizar cada momento. Isso vai despertar uma sensação de que cada aula é única e, dificilmente, seu aluno se cansará do espaço.
  5. Nas noites de quinta e sexta-feira, quando o movimento reduz, considere transformar sua academia numa balada. Pode ser uma balada “jovem” ou um ambiente com banquinho e violão, dependendo do seu público, claro.

O ideal para cada modalidade

  • Yoga e Pilates: controle a iluminação nestas salas, de modo a promover a sensação de relaxamento.
  • Spinning: o espaço que requer iluminação cênica e com música para estimular a pedalada.
  • Musculação, dança e aeróbica: exigem salas bem iluminadas ou cênicas para não transmitir a sensação de cansaço.

Pense nessas dicas e bom projeto!